Vigilantes vão ao Senado Federal e recebem apoio na luta pelos R$3 mil

cntv

 

Vindos de todos os cantos do país, os vigilantes levaram a luta pelo Piso Nacional de R$3 mil ao Senado Federal na manhã desta segunda-feira (6). Recebidos pelo senador Paulo Paim para uma audiência pública na Comissão de Direitos Humanos da Casa, os trabalhadores reafirmaram a luta por salário digno e reconhecimento, e ganharam apoio de Paim, propositor da audiência e grande parceiro da categoria, e da senadora Fátima Bezerra (PT-RN).

 

A audiência pública faz parte do processo de debate da matéria na Casa e é uma das etapas antes de ser levada à votação no Plenário. Paim lembrou do processo para garantir o adicional de periculosidade e reforçou a importância da mobilização da categoria. “Nós conseguimos os 30% graças à mobilização. Realizamos audiências públicas por todo o país, apresentamos a matéria na Câmara e no Senado Federal. Aqui (no Senado) andou antes e garantimos que cada vigilante do país recebesse o adicional de 30%.  Esse é o mesmo caminho para garantir o Piso Nacional de R$3 mil”, avaliou.

 

Patrões assustados

 

O poder de mobilização dos vigilantes mais uma vez tem assustado os patrões, que bombardeiam mentiras sobre desemprego caso a matéria seja aprovada. “Agora eu pergunto: vigilantes, vocês valem só isso o que recebem?”, indagou o deputado distrital e diretor da Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV), Chico Vigilante. “Então não me venham com essa história de que vai ter desemprego. Não vai ter desemprego, vai ter valorização, vai ter reconhecimento”, afirmou.

Segundo secretário de Finanças da CNTV e presidente do Sindicato dos Vigilantes do DF (Sindesv-DF), Jervalino Bispo, quando os dirigentes lutavam pela periculosidade, alguns diziam que estavam tentando enganar a categoria. “Mostramos que somos dirigentes sérios, batalhadores. Junto com a categoria conseguimos a periculosidade. A situação se repete e a briga é de todos. Os empresários estão assustados e continuam repetindo mentiras. A categoria, quando acredita, perde a chance de avançar mais”, assegurou.

“Cada trabalhador deve pressionar o senador, o deputado do seu Estado. Assim vamos mostrar que trabalhador unido jamais será vencido”, orientou.

 

Profissão Ficha Limpa

 

O fato de ser uma das poucas profissões inteiramente ficha limpa foi um dos pontos abordados pelo presidente da CNTV, José Boaventura. Hoje, mais de 2 milhões e 300 mil vigilantes são cadastrados junto à Polícia Federal (PF) e têm sua reputação sem manchas – algo imprescindível para o exercício da profissão. São essas mesmas pessoas – comprovadamente honestas – que zelam não só pelo patrimônio, mas pela vida de outros milhões. “Agora, pergunte para esses mesmos vigilantes se lá no posto eles possuem todas as condições de trabalho necessárias, se o salário que eles recebem é suficiente para as contas do mês”, desafiou Boaventura.

“Já garantimos muitas conquistas. Tivemos a reblindagem dos carros-fortes, a jornada 12×36, a regulamentação da profissão, o colete a prova de balas como EPI, o Dia Nacional do Vigilante, o adicional de periculosidade. Nada disso caiu do céu. Tudo veio com muita luta, e é com luta que vamos conquistar também o Piso Nacional de R$ 3 mil”, afirmou Boaventura.

O presidente do Sindivigilantes do Sul, Lorenir Dias, completou: “Ninguém acreditava nos 30% e está aí. Anticalote também ninguém acreditava e está andando, já é realidade em alguns Estados. Qual o motivo de não acreditar no Piso Nacional?”.

“O Piso vai valorizar e dar respeito. Os empresários se fazem de desentendidos, dizem que não podem. O que não pode é a categoria aceitar que os empresários nos tratem como mercadoria”, completou o secretário Geral da CNTV e presidente do Sindicato dos Vigilantes de Niterói (SVNIT).

 

Senadores apoiam o Piso

 

A senadora Fátima Bezerra (PT-RN) e o senador José Medeiros (PSD-MT) manifestaram total apoio à luta dos vigilantes e se comprometeram a defender a matéria no Senado Federal.  “Paim será nosso timoneiro para liderar toda a agenda legislativa que venha a promover a cidadania de vocês (vigilantes) e para evitar retrocessos. É muito importante lutar por mais direitos e contra o fortalecimento dessa agenda conservadora que está em curso no país”, destacou Bezerra.